Notícias do IPMet

Pesquisar notícias:







COMO FOI O VERÃO EM BAURU?
21/03/2024

 Sob a influência do El Niño, o verão 2023/2024 foi quente e seco em Bauru e em grande parte do estado de São Paulo. O verão é considerado como uma estação climatologicamente quente e chuvosa, caracterizada pelas altas temperaturas e pelos elevados volumes de precipitação, geralmente provenientes de pancadas de chuva ou "chuvas de verão”, e formadas pelas nuvens cumulonimbus que provocam tempestades, principalmente no período da tarde.

 

 O fenômeno El Niño (temperatura acima do normal na porção central do oceano Pacífico Equatorial) continuou atuando de forma moderada a forte durante a estação, e tem o indicativo de continuar até o final do outono, com gradual enfraquecimento, com possibilidade de formação do La Niña no segundo semestre. O El Niño não tem sua influência bem definida no padrão de chuvas na região Sudeste do Brasil, pois seus efeitos são imprevisíveis e com isso, as chuvas tornam-se mais irregulares e mal distribuídas na região durante a estação, ocorrendo em alguns municípios paulistas chuvas mais intensas acima da média.  

 

Embora tenha tido vários dias com pancadas de chuvas, típicas do verão, que geralmente são intensas, mas de curta duração, a distribuição da precipitação atmosférica na cidade ficou abaixo da média durante os três meses (dezembro/janeiro/fevereiro) consecutivos da estação do verão 2023/2024. A precipitação na estação contou com um total de chuva de 450,6 mm durante os 3 meses, chovendo em torno de 62% das chuvas esperadas para o outono e implicando em um desvio 38% abaixo da climatologia.   

 

As temperaturas estiveram mais elevadas do que de costume para estação em função da presença do fenômeno El Niño que causa aumento da temperatura no centro-sul do país.  Em Bauru, as temperaturas máximas e mínimas nos 3 meses da estação ficaram acima da média esperada para o mês.    

 

A média da temperatura máxima no verão 2023/2024 foi 31,1°C e ficou acima em 0,7°C da média climatologia da estação (30,4°C), assim como a temperatura mínima, que computou 20,4°C superando a média climatologia da estação (19,8°C) em 1,6°C.  A umidade do ar na estação ficou em 42% bastante abaixo da média climatologia da estação (75%).   

 

Em dezembro, o acumulado mensal de chuva em Bauru foi 103,6 mm, inferior a 54,2% da média climatológica (226 mm). Os extremos de temperatura foram: temperatura máxima de 39°C no dia 15/12 e temperatura mínima de 16,0°C no dia 13/12.   

 

Em janeiro o acumulado mensal correspondeu a 203,5 mm, um desvio de 30% a menos do que era esperado para o mês. O extremo da temperatura máxima chegou a 37,2°C no dia 07/01 e da temperatura mínima em 15,3°C no dia 26/01.    

 

Em fevereiro: o total mensal da precipitação acumulada foi 138,2 mm, sendo inferior a 34,5% à média climatológica (211 mm) do mês. O extremo da temperatura máxima foi 36,7°C no dia 29/02 e da temperatura mínima 18,2°C no dia 01/02.    

 

Figura 1 mostra o total da precipitação acumulada no trimestre dezembro/janeiro/fevereiro em cada ano do período de 2001 a 2024, permitindo a identificação do ano onde a estação do verão foi mais chuvosa ou seca na cidade de Bauru. Semelhantemente em relação as temperaturas máxima e mínima, para verificar qual ano o verão foi mais quente ou frio.    

 

Elaboração:   

 

Met Zildene Pedrosa O. Emídio